Make your own free website on Tripod.com

Bleah!

Como Evangelizar
Home
Jogos
Leituras Edificantes
Objetivo
Links
Sugestões
Emoctions

Elaborado por Eliseu Santos

Diretores de Evangelismo: Randalf Claro e Eliseu Santos

Líder: Ana Paula Weschenfelder

Introdução

 

Um dos trabalhos mais desafiadores já apresentados ao cristão é este:

 

“A tarefa suprema da Igreja de Evangelizar e fazer discípulos mundo a fora”.

 

A igreja nasceu no ardor da Evangelização e estará arruinada no momento em que as novas gerações deixarem de alcançar o perdido.

 

I. O que é evangelismo Pessoal?

     Evangelismo pessoal é toda obra de falar de Cristo individualmente aos perdidos (At. 8.30 ).

 

II A importância do Evangelismo Pessoal.

    A importância vê-se no fato de que a evangelização dos pecadores foi o último lembrete deixado por Jesus (At. 1.8,9 ).

 

III. Qual o objetivo do Evangelismo Pessoal?

     O alvo é tríplice: salvar os perdidos, restaurar os desviados e edificar os crentes.

 

     • Ganhar almas e anunciar o seu reino foi a principal tarefa de Jesus aqui na terra (Lc. 19.10 );

 

     • Paulo tinha a mesma visão (1 Co. 9.20 );

 

 

    • O “Ide” de Jesus para irmos aos perdidos (Mc. 16.15 ), não é dirigido aos missionários institucionalizados pela igreja, ou aos pastores, ou até mesmo ao departamento de Evangelismo Pessoal, mas a todos, indistintamente, como bem revela o texto acima.

 

IV. Vantagens do Evangelismo Pessoal.

     • Promove o crescimento da igreja (At. 5.42 );

     • Adaptam-se as condições espirituais de qualquer pessoa.

 

V. Qual é o Manual do Evangelista?

     É a Bíblia, a Palavra de Deus e Dele temos as extraordinárias promessas (Is. 55. 11; Sl. 126. 5,6 ).

  

     5.1 Na obra de ganhar almas emprega-se a Palavra de Deus.

     (Jo. 3.5;  1. Pe. 1. 23 );

 

     5.2 Para empregar a Palavra de Deus é preciso conhecê-la.

     (2 Tm. 2.15 ).

 

 Como devemos evangelizar...

 

I. Sua vida intelectual

O evangelista é uma pessoa que está a par dos problemas dos homens, e não só isso, ele tem a resposta certa para o momento certo. Portanto deve:

 

1) Manejar bem a Palavra de Deus (Tm. 2.15;  At. 7.2-53)

 

2) Conhecer as pessoas e suas desculpas (Jo. 4.16-10)

 

2.1 Hoje não, mais tarde quem sabe (Tg. 4.13-15);

 

2.2 Nasci na religião de meus pais, portanto, já tenho religião (At. 4.12);

 

2.3 Toda religião é boa; eu sendo sincero é o que importa (Lc. 13.3);

 

2.4 Não vejo necessidade de ser cristão. Creio em Deus e procuro sempre fazer o bem às outras pessoas (Ef. 2.8,9);

 

2.5 Todos nós pertencemos à família de Deus (Mt. 12. 46-50);

 

2.6 Conheço muito crente (ou pastor) que faz muitas coisas erradas (Rm. 14.12);

 

2.7 Se Deus existe e é amor, porque tem acontecido tanta coisa ruim com a humanidade (Rm 5.12);

 

2.8 Há muita coisa na Bíblia, e no meio evangélico que não entendo.

(1 Co. 2.14);

 

 

 

 

2.9 Para mim não há salvação. Deus não me aceita mais. Levo uma vida muito pecaminosa (Jo. 6.37-39);

 

2.10 Sou ateu (Sl. 14.1-3);

 

2.11 Não creio no inferno. Esse tipo de coisa é invenção (Mt. 25.41);

 

2.12 Até concordo em ir à igreja, mas discordo em dar dinheiro a pastor (Ml. 3.8-11).    

 

3. Conhecer as seitas e religiões mais comuns

 

3.1 Sou espírita, e a Bíblia tem exemplo de sessão espírita (I Sm. 28.3-8).  Contra-argumentação (Dt. 18.9-12;  1 Cr. 10.13).

 

4. Saber o que se passa no mundo

 

É necessário que o cristão saiba o que se passa na política, economia e na sociedade no Brasil e no mundo, e não somente isso, mas que ele tenha o seu ponto de vista crítico, para a partir daí abrir espaço para um diálogo e conseqüentemente uma futura evangelização.

 

II. Sua vida espiritual.

O evangelista não pode esquecer que o evangelismo é uma obra de caráter espiritual. Paulo disse: “Porque  não temos que lutar contra a carne e o sangue...” em Ef. 6.12 a Bíblia deixa claro o que devemos fazer:

 

1) É preciso levar uma vida de oração (At. 10.9 e Ef. 6.18,19)

 

Nota: A oração é a chave que abre todas as portas.

 

 

 

a) Para que Deus nos mostre com quem falar.

b) Para que Deus nos guie no falar.

c) Para que nossas palavras tornem-se vivas e poderosas.

 

2) É preciso estudar a Bíblia constantemente (Hb. 4.12)

 

É muito importante o pleno desembaraço no manuseio da Palavra de Deus. Isto significa saber onde estão as passagens necessárias e localiza-las com rapidez.

 

Obs: Nunca citar versículo incompleto ou de maneira duvidosa. Se não tiver certeza da referência a ser dita, melhor ficar calado, ou sempre que puder dispor de um volume Sagrado que possua concordância Bíblica para melhor desempenho evangelístico.

 

3) É preciso ter amor pelas almas (1 Jo. 4.21)

 

4) É preciso ter fé na operação da Palavra de Deus

 

Obs: Devemos falar a Palavra de Deus com plena convicção de que é poder de Deus para a salvação de todo o que crê (Rm. 1.16).

 

5) É preciso total dependência do Espírito Santo

 

1) O Espírito Santo testifica de Cristo (Jo. 15.26);

2) O Espírito Santo convence o mundo (Jo. 16.8);

3) O Espírito Santo nos ensina e faz lembrar (Jo. 14.26).

 

 

Como entrar no assunto da Salvação

 

 

 

Com que palavras ou de que maneira podemos nos dirigir ao pecador, ao iniciar o assunto da salvação? Há quatro fatores que se observados poderemos dar início a uma boa evangelização:

 

1. O tempo disponível;

2. O local;

3. As circunstâncias;

4. Os tipos de pessoas.

 

A melhor maneira de aprender a entrar no assunto é praticando. 

 

 

1. O TEMPO DISPONÍVEL

 

1.1 Quando há muito tempo

 

    É interessante conversar com a pessoa antes procurando conhecer o seu credo religioso, se crê em Deus ou não, se acredita em vida após a morte, onde planeja viver esta vida; enfim, conheça melhor a pessoa pra depois evangelizá-la.

 

1.2 Quando há pouco tempo

    Nesta situação é bom entrar assim que possível no assunto.

 

1.3 Quando há um mínimo de tempo

    Pode-se dar início por meio de um folheto, jornal ou porções das Sagradas Escrituras.

 

 

 

2. O LOCAL

 

2.1 Passando próximo a festas e outros locais de diversão.

      (Ec.11.9; 12.1; Jo. 14.17; Rm. 14.12; Tg. 4.4; 1 Jo. 2.15-17).

 

2.2 Num hospital ou local semelhante.

      (Sl.103.3;  Is. 53.5;  Mt. 6.33;  Lc. 5.17-26).

 

 

3. AS CIRCUNSTÂNCIAS

 

As circunstâncias e fatos do momento a nossa volta servem para introduzir o assunto da salvação. Exemplos:

 

3.1 A natureza ao redor; isto é, montanhas, praias, paisagens, etc.

     (Gn. 1.26,28;  Sl. 19.1);

 

3.2 A falta de tempo que tudo mundo reclama.

     (Is. 55.6; Jr. 8.20;  Am. 4.12;  Mt. 25.10-12);

 

3.3 Espantoso progresso da Ciência (Dn. 12.4;  Lc. 21.11);

3.4 As tsunamis, terremotos, epidemias ( Jl. 2.18-27);

3.5 Em ambiente de tristezas e dificuldades (Rm. 8.18);

3.6 Em caso de morte (1 Ts. 4.13-18);

3.7 Se o assunto é política (Jr. 23.5;  Lc. 1.32,33).

 

 

4. OS TIPOS DE PESSOAS

 

São duas as classes de pessoas com que temos de tratar. Contudo, vamos antes salientar algumas atitudes importantes na hora da evangelização das pessoas.

 

 

 

Educação – Com licença, por favor, bom dia, desculpa etc.

Sorriso – Transmite amizade.

Respeito – Evitar polêmicas, não ofender crenças alheias.

Atencioso – Ouvir a pessoa dando respostas mansas.

 

4.1 – Os não-cristãos.

      

        Os que não conhecem o Evangelho. Use o “Plano da Salvação”.

        (Is. 45.22; Rm. 6.23; Hb. 7.25).

 

4.2 – As ovelhas desgarradas.

 

        É de suma importância sabermos primeiramente por que essas pessoas se afastaram dos caminhos do Senhor. Eis aqui alguns motivos:

 

a) Mantiveram amizade estreita e comunhão com pessoas mundanas.

    (1 Co. 15.33;  2 Co. 6.12-17;  Rm. 12.2);

 

b) Admiração e apego pelo mundo (1 Jo. 2.15);

 

c) Vida espiritual superficial (Lc. 8.13);

 

d) Viver vazio e seco espiritualmente devido a falta da oração (Cl. 4.2).

 

Quantos aqueles que estão afastados há duas classes: Os que têm saudades e desejam retornar, até mesmo oram e ficam comovidos quando lhes fala a Palavra de Deus, mas não tem forças em si mesmas.

A estes acima descritos podemos mostrar:

 

1. O grande amor de Deus por eles (Ez. 18.23-30;  Lc. 15.21-24);

2. O caminho de volta para Deus (2 Cr. 7.14;  Is. 55.7);

3. Se este clamar Deus o ouvirá (Sl. 107.17-21);

 

 

4. Jesus perdoou um grande assassino e perseguidor dos cristãos chamado de Saulo de Tarso (At. 9.10-15).

 

A outra classe compreende os indiferentes, insensíveis, blasfemos e apóstatas. Para estes, só a misericórdia de Deus para alcançá-los, porém podemos perguntar-lhes:

 

1. Que falta o Sr.(a) encontrou em Deus para abandoná-lo? (Jr.2.5);

2. O Sr.(a) vivia mais feliz quando servia a Deus ou agora? (Sl.119.1);

3. Não devemos desprezar os avisos de Deus (Ne. 9.17;  Ez. 3.27);

4. O resultado de permanecer afastado (Jr. 2.13,19;  Ez. 18.24;  2 Pe. 2. 20-22).

 

 

 

Evangelizando...

 

Não há uma fórmula mágica para evangelizar e muito menos receitas milagrosas para tal, entretanto se conhecermos o que já foi estudado nesta apostila a probabilidade de sucesso na evangelização é maior. Portanto, aqui constam somente algumas orientações para evangelização.

 

Obs: Estas orientações não podem servir de regra para todos os casos, elas são somente exemplos para um melhor desempenho.

 

O EVANGELISMO PESSOAL EXPÕE O PECADO

 

O que é pecado?

 

1. É a falta de comunhão com Deus – 1 Jo. 1.3,6;

2. É não crer em Cristo – Jo. 16.8,9;

3. É não negligenciar a prática do bem – Tg. 4.17;

4. É não obedecer ao principal mandamento – Mc. 12.30,31.

 

AS CONSEQUÊNCIAS DO PECADO:

 

1. Interrompe a comunhão com Deus – Is. 59.2;

2. Torna o coração do insensível – Hb. 3.13;

3. Induz outras pessoas a pecar – Gn. 4.8-10;

4. Conduz a morte espiritual e às vezes física – Hb. 6.23.

 

O EVANGELISMO PESSOAL MOSTRA CRISTO COMO SOLUÇÃO PARA O PECADO

 

1. Tem poder para perdoar pecados – Mt. 1.21; Jo. 1.29;

 

2. É o único que pode fazê-lo – At. 4.12;

3. Restaurou a nossa comunhão com Deus – I Tm. 2.5-6.

4. É suficientemente capaz de livrar da morte – Jo. 8.51.

 

O EVANGELISMO ORIENTA O PECADOR DA SEGUINTE FORMA:

 

1. Arrepender-se – Mt. 4.17; At. 3.19.

2. Crer em Jesus Cristo – At. 16.31.

3. Confessar -  Rm. 10.9-10.

4. Entregar sua vida a Cristo – Sl. 37.5.

5. Confiar nas Escrituras – II Tm. 3.16.

 

OS BENEFÍCIOS DAQUELES QUE ACEITAM A CRISTO:

 

1. Alcançam perdão – I Jo. 2.12;

2. Alcançam justificação – Rm. 3.24.

3. Alcançam reconciliação – Rm. 5.10; II Co. 5.18.

4. Alcançam adoção – Jo. 1.12-13.

5. Alcançam paz – Jo. 14.27.

6. Alcançam o dom do Espírito – At. 2.38.

7. Alcançam a vida eterna – Jo. 5.24.

 

Nota Final:

Ante o exposto, devemos tão somente depender do Espírito Santo de Deus por meio de nossas orações e acompanharmos os novos convertidos em sua caminhada cristã para que não se percam pelo caminho.

 

 

Bibliografia

 

* Gilberto, Antonio a prática do evangelismo pessoal, Rio de Janeiro, CPAD, 1983;

*  Boyer, Orlando esforça-te para ganhar almas, Miami, Editora Vida, 1977;

* Machado, Ledenir curso de evangelização Ceifeiros em Chamas, Fpolis, 2005;

* Contribuição de Eliseu Santos e Ana Paula Weschenfelder no aperfeiçoamento e revisão desta apostila respectivamente.